Concurso Polícia Civil MA 2018 – Escolha da Banca Organizadora




Seleção deverá oferecer vagas para delegado e outras posições.

Novo concurso público está prestes a ser oficializado. Trata-se do certame da Polícia Civil/MA, pois o governador autorizou escolha da banca organizadora. Este processo seletivo promoverá oportunidades de vagas para o cargo de delegado, entre outros postos de trabalho. A comissão responsável pela organização está trabalhando na elaboração definitiva do edital.

De acordo com informações oriundas do gabinete do governador do Maranhão, foi assinada, no dia 23 de outubro, a portaria 33.505, autorizando a corporação da Polícia Civil do Estado do Maranhão – PC/MA – à abertura do procedimento que visa determinar a banca encarregada da importante tarefa de gerir este novo concurso público.


Este processo de seleção destina-se a cargos voltados para a carreira de delegado e para mais alguns outros cargos, sendo que a comissão designada, reunida no dia 6 de junho, atua intensamente na elaboração do edital final. Entretanto, ainda não há informações a respeito das demais carreiras, assim como o modo de oferta das vagas, que estão submetidas aos critérios de confirmação da mesma comissão. Portanto, existe uma expectativa de que a banca organizadora do processo seletivo venha a ser confirmada logo, já que é necessário que o órgão prossiga no fechamento do cronograma completo desse concurso público, inclusive a definição da data de publicação do mesmo edital.

O documento oficial redigido no dia seis de junho possui uma relação dos nomes de todos os integrantes da comissão setorial deste novo concurso, cujo papel principal está no auxílio dentro da comissão central, na medida em que esta prossegue no exercício das atribuições que lhe foram conferidas. Assim, foram estabelecidas duas comissões, uma delas empenhada para o cargo de delegado, enquanto a outra está encarregada de gerir as demais vagas, organizando a generalidade dos concursos da corporação. Portanto, a comissão especializada no posto de delegado está sendo gerida pelos seguintes servidores: servidora Christiane Morais Ribeiro de Melo; servidor Jorge Luís de Carvalho Nina; servidora Tauane Gleide Guimarães Brito Ramos; servidor Lawrence Melo Pereira e servidor Márcio Henrique Teixeira Araújo. A comissão que está organizando a parte mais geral apresenta a mesma lista de servidores, com exceção da servidora Tauane Gleide Guimarães Brito Ramos. O membro que está ocupando a sua posição na equipe é o servidor Daniel Augusto de Oliveira Rocha.

Conforme o histórico do último processo seletivo para o cargo de delegado e também para diversos outros cargos pertencentes à corporação, realizado no ano de 2012, o número de vagas ofertadas na ocasião foram de mais ou menos 229 postos, entre eles, dez vagas destinadas ao cargo de auxiliar em perícia médica legal; 40 vagas destinadas ao cargo de escrivão de polícia; três vagas no setor farmacêutico legista; 120 vagas destinadas à função de investigador de polícia; cinco vagas na área de médico legista; três vagas destinadas ao cargo de odontolegista; mais oito vagas no setor de perito criminal e principalmente as últimas 40 vagas foram destinadas à carreira de delegado, a qual foi confirmada também para a nova seleção. A banca responsável pela organização havia sido a Fundação Getúlio Vargas – FGV.


Em relação à carreira de delegado, conforme dados do último concurso, a remuneração inicial paga estava em torno do valor de 12.029,00 reais. Portanto, os interessados nesse cargo precisam de formação em nível superior na disciplina de direito.

O processo seletivo foi organizado em duas etapas distintas. Na primeira fase, os candidatos submeteram-se a uma prova com questões objetivas, em seguida houve uma avaliação discursiva e também a análise de títulos. Na segunda fase do processo de seleção foram realizados os testes de aptidão física, além de rigorosa avaliação por meio de psicotécnica, os demais exames médicos e odontológicos necessários, a devida investigação social e também curso de formação.

Os exames contaram com uma prova objetiva constituída de 100 questões, das quais 15 eram de língua portuguesa, cinco versando sobre a legislação específica, 15 questões sobre direito constitucional, 15 questões em direito administrativo, dez questões de direito civil e direito empresarial, 15 questões sobre direito penal, 15 questões na área de direito processual penal e mais dez na área de medicina legal.

Paulo Henrique dos Santos

Comentários